Sumário
SUMÁRIO DOS LIVROS
ENVELHECER: Histórias, encontros e transformações
Três mulheres idosas, com crescentes deficiências físicas, conseguiram mudar sua auto-imagem, seu corpo e sua história pessoal. Elas enfrentaram o paradoxo da idade, descobriram novos caminhos para suas jornadas e perceberam o valor de seus corpos, há muitos anos anestesiados para a vida. Este é o tema central deste livro – indicado para o prêmio Jabuti/2002 – que traz uma "lição de vida" para aqueles que temem ou resistem ao envelhecimento. Ele aborda as experiências de isolamento dos idosos, de
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

PARTE I - ENVELHECIMENTO

Envelhecimento e Conhecimento
O Sentir e a Interação Social
Emoção e Expressão
Identidade: Semelhança e Diferença
Mundo Fragmentado e a Totalidade
General-idade e Singular-idade
A Dinâmica da Vida
Saúde e Doença
A Complexidade e o Holograma
Corpo e Crença

PARTE II: IMAGENS


A Dinâmica das Imagens
Aquisições e Perdas
Ser ou não Ser
Imagem Corporal e Velhice
Tato e Contato
Encontro e Transformação

PARTE III: HISTÓRIAS


Histórias de Vida e Desenhos
A Mudança como Princípio
Uma História de Fé
A Descoberta da Aceitação
Últimos Fragmentos de História
Notas
Bibliografia



distanciamento do próprio corpo, da falta de toque e de afeto. As histórias dessas três mulheres vão interessar a todos que sabem que envelhecer não é aquilo que acontece aos que têm mais idade: é um processo ao qual o ser humano está submetido e que é irreversível. Envelhecer também pode ter um significado diferente do convencional, caracterizado pela falta de atividade produtiva e pela valorização excessiva das limitações físicas que acabam por inibir a auto-estima e ampliar a depressão. Mas cada um pode viver esse processo sem sofrimento, avançando na vida com mais sabedoria e descobrindo novas maneiras de estar no mundo.


QUEM SOMOS NÓS? O enigma do corpo

A Gutenberg Editora lança o livro Quem somos nós? – O enigma do corpo, de Pedro Paulo Monteiro. O autor é mestre em Gerontologia e fisioterapeuta pós-graduado em Neurologia, professor de Psicofísica e Ecologia Humana em cursos de pós-graduação.
Neste livro, o autor procura promover um diálogo entre a poesia e a ciência; a poesia que se utiliza de uma linguagem metafórica, não-linear. Para Pedro Paulo Monteiro, a vida somente pode ser compreendida desse modo.

IINTRODUÇÃO

Capítulo I – A revelação do corpo
O corpo surge
Capítulo II – A estrutura que se desestrutura
O indulto do fogo
O tao do corpo

Capítulo III – O corpo máquina e o corpo vivo
O fluxo da paixão
A máquina humana
A cognição do corpo vivo

Capítulo IV – Corpo emocional: o ritmo da forma
Os ventos da primavera

Capítulo V – O corpo entre outros corpos: a relação humana
O holograma
O significado e a linguagem
Gaia: a grande mãe
Chuvas e lembranças

Capítulo VI – O corpo e o tempo: história de vida
Histórias do cotidiano
Hino da pérola
Lei da ressonância

Capítulo VII – A crença e o corpo: a construção da forma
A cultura da forma
A memória da forma
À caminho do crepúsculo

Capítulo VIII – A impermanência do corpo
A mulher que virou brisa
A sabedoria da desilusão
Depressão do corpo e o fluxo do amor
Um corpo vulnerável
Buda e as quatro nobres verdades
Transição de estados
Reflexões finais – O enigma do corpo
A vida e os símbolos
Mandala: o círculo mágico

Livro Quem somos nós: Baseado nas suas próprias experiências como terapeuta do corpo, Quem somos nós? mostra que a transformação corporal é incessant etransformação corporal é incessante e dependente das crenças e desejos do sujeito, ou seja, o autor mostra que o corpo é um processo que capta a história de vida de cada um, escrevendo-a nas células, nos tecidos e nos órgãos, constituindo-se em uma estrutura dinâmica e mutável.
Vivemos a época do corpo belo, jovem, forte e saudável, e, assim, o corpo que não está dentro do modelo é excluído. Vivemos a era da estética sem ética, em que a rejeição dos “sem-forma” é inevitável. Quem não dialoga com o próprio corpo se sente à deriva, sucumbe na crise do afastamento. Buscar uma forma sem questionar é ignorar que o corpo é um manancial de conhecimento. Ele nos dá a direção na vida.
Sendo assim, “o corpo é história de vida sem limites”. Então, Pedro Paulo mostra, por meio de várias histórias de vida de mulheres idosas, que o corpo é uma referência ao autoconhecimento; são histórias de mulheres que alcançaram o conhecimento de si mesmas mudando o rumo de suas vidas devido às suas próprias limitações físicas.
O livro, além de ter uma linguagem poética que nos envolve desde as primeiras linhas, é uma grande oportunidade para todos nós, jovens, adultos e idosos, nos colocarmos diante dessa questão que nos provoca o tempo todo – Quem somos nós? – e percebermos como esse processo de relacionamento com tudo e todos que nos cercam vai se inscrevendo no nosso corpo e como esse mesmo corpo vai se moldando às novas histórias e às mudanças incessantes às quais estamos submetidos.
Pedro Paulo Monteiro é também autor do livro Envelhecer - encontros, histórias, transformações, publicado pela Autêntica Editora em 2001 e indicado ao Prêmio Jabuti em 2002.

SUMÁRIO

IINTRODUÇÃO

Capítulo I – A revelação do corpo
O corpo surge
Capítulo II – A estrutura que se desestrutura
O indulto do fogo
O tao do corpo

Capítulo III – O corpo máquina e o corpo vivo
O fluxo da paixão
A máquina humana
A cognição do corpo vivo

Capítulo IV – Corpo emocional: o ritmo da forma
Os ventos da primavera

Capítulo V – O corpo entre outros corpos: a relação humana
O holograma
O significado e a linguagem
Gaia: a grande mãe
Chuvas e lembranças

Capítulo VI – O corpo e o tempo: história de vida
Histórias do cotidiano
Hino da pérola
Lei da ressonância

Capítulo VII – A crença e o corpo: a construção da forma
A cultura da forma
A memória da forma
À caminho do crepúsculo

Capítulo VIII – A impermanência do corpo
A mulher que virou brisa
A sabedoria da desilusão
Depressão do corpo e o fluxo do amor
Um corpo vulnerável
Buda e as quatro nobres verdades
Transição de estados
Reflexões finais – O enigma do corpo
A vida e os símbolos
Mandala: o círculo mágico
A MENTE e o significado da vida

Em 'A mente e o significado da vida', o autor não hesita em dizer que mente e cérebro não significam as mesmas coisas. A mente continua indevassável apesar de todos os anúncios sobre os seus desvendamentos a partir dos vários estudos realizados sobre o cérebro. O autor lida com o processo de envelhecer em suas experiências profissionais e, quando se propõe a tratar da mente e do significado da vida, acredita que o único caminho é falar da própria vivência, pois a mente

do outro é inalcançável. A busca pelo significado da vida é realizada enquanto vivemos, nos transformamos, e, naturalmente, envelhecemos. A mente é singular a cada um e está em constante formação. As experiências, as referências, os valores e as concepções individuais a configuram.

SUMÁRIO

PRÓLOGO
PREFÁCIO
INTRODUÇÃO
PARTE I – A mente
A mente vasculhada
Por que a mente?
A mente em questão
Na trilha da mente humana

PARTE II – As imagens
Imagens mentais
Imagens e percepção
Os sentidos e o mundo
O tempo e as imagens mentais

PARTE III – A consciência
A consciência é inefável
Consciência e solidão
A consciência da vida
O sopro e a consciência
ÚLTIMAS CONSIDERAÇÕES
REFERÊNCIAS

Para ler a introdução: