Opinião dos Leitores
Resenha do Livro ENVELHECER Histórias, Encontros, Transformações.
Pedro Paulo Monteiro

Por Tenzin Namdrol


Em seu primeiro livro, "Envelhecer: Histórias - Encontros - Transformações", o autor relata como ele e seus clientes idosos, que denomina parceiros de aventura terapêutica, vivem o processo que poderá vir a sanar muito mais do que a preocupação momentânea de um e de outros. Aprendizado conjunto, fluxo na cauda do tempo, como em inesgotável corpo de água que, da infância à velhice, passa de corredeira em riacho, rio, lago ou pântano antes de desaguar no grande mar, em processos sucessivos de adequação ao terreno e ao momento.

Somos seres sem fronteiras, que a busca de uma estabilidade ilusória impede de viver a aventura que encontramos nas incertezas de cada momento, quando o tempo não é inimigo. Envelhecer e viver são processos indissociáveis, tecidos em relações de toda espécie, no qual o ser único em seu tempo vivido estabelece pelo percurso. Nosso organismo é condicionado para a vida, alimentado por laços de relações sociais, processos recíprocos espontâneos de aceitação, também chamados de amor, que permitem ao velho o reconhecimento de seu valor corporal, imprescindível no restabelecimento da cura, rumo à integração social.

Trazemos em nós e no histórico de nossa família os arquétipos familiares do velho, que vão emergindo no decurso de nossas vidas, dando nascimento a um novo perfil quando já não nos encontramos na pujança da vida. Perfil este, de nossa própria criação, reconhecido e admitido no seio da cultura familiar. É assim que cada parte traz a sua contribuição para a visão arcaica do novo velho. A verdade não repousa mais momento pessoal, mas na tradição que levará à marginalização de um e a desmesurada responsabilidade de outros, enquanto que o bem-estar das partes se constrói sobre as adaptações à transparência do momento.

Dependemos de nosso corpo, principal ponto de referência espaço-temporal, para viver e nos realizarmos na corporeidade (a totalidade do humano enquanto ser vivo que faz parte da criação e da natureza). Sem ela somos levados para o mundo da ilusão, dos devaneios e dos sonhos, e é no limite da pele que sabemos que estamos conectados ao mundo. No relacionamento com outros corpos que garantimos nossa referência espaço-temporal. O corpo precisa ser respeitado como um domínio do ser que explora e enriquece a experimentação, adquirindo e doando a qualidade do aprendizado primordial para a vida de todos nós.

A segunda parte do livro trata da dinâmica das imagens mentais que formam nossos conceitos de mundo e contribuem para o reconhecimento de nós mesmos. Aprendemos como o tato pode resgatar a sensibilidade do velho corpo que sofre pela privação sensorial.

A terceira e última parte é o relato do encontro com três velhas mulheres que enfrentaram o paradoxo da vida descobrindo no valor de seus corpos, há muito anestesiados, novos caminhos para suas jornadas e que se tornaram marcantes para o processo de envelhecimento do autor quando lhe foi possível acreditar no fluxo do rio, o grande mestre, que permitiu desvendar alguns mistérios de sua própria história.
PEDRO PAULO MONTEIRO

Opiniões dos Leitores - Livro Envelhecer
FABRÍCIO BARROS de Campos - RJ, dia 07.03.2005
Excelente!!!
O que é mais legal é o fato de como o autor lidou com os pacientes desde o começo da carreira dele. Sempre acreditou poder fazer mais pelos pacientes do que simplesmente o que estava escritos nos "manuais". Lembrei do meu primeiro paciente e das dificuldades que tive no hospital quando ainda era aluno. Achei interessante o fato do isolamento social imposto pela sociedade, e como nós, não idosos, somos levados a fazer isso muitas vezes sem perceber (vide a carta que a filha do autor escreveu para ele). Como julgamos as pessoas idosas... Sempre a colocamos num nível abaixo, como se elas precisassem apenas de remédios, um cantinho e comida. Também é interessante o fato de como analisamos alguns episódios, por exemplo se uma pessoa idosa comenta sobre sexualidade, todos ficam espantados, chamam o velho de pevertido, louco, caduco. O livro realmente me livrou de muitos preconceitos


(Claúdia Linhares) Simplesmente o melhor livro sobre o envelhecimento. As histórias são comoventes nos dando força para viver

Camila Lima da Silva de São Paulo, 11/12/2003 - Minhas lágrimas brotaram a cada história. Todas as mulheres de minha idade deveriam conhecer esse livro.

Maria Eduarda de Santa Catarina, 3/2/2003 - Este livro me surpreendeu do início ao fim. Pensei que fosse um livro só para pessoas interessadas em envelhecimento. De repente descobri que é um livro que fala sobre a vida, o amor, a ternura, a compaixão. Estou muito feliz de ter descoberto essa grande obra

Martha de Abreu Cantuki de Florianópolis, 4/4/2002 Um Maravilhoso e Sensível Livro"Envelhecer é um processo de transformação do humano como ser único em seu tempo vivido". Com esta frase o autor resume muito bem que envelhecer é viver e que a vida é um processo contínuo de transformação . A única esperança de mudar o rumo de nossa história é pelo processo do envelhecimento. Como o livro mostra, a partir das histórias contadas, todos nós precisamos do encontro porque não podemos nos libertar sozinhos. É no encontro que reside a transformação. Através das histórias emocionantes e sensíveis fica claro que todos nós sempre precisamos de lugar e de significado para sermos felizes.

Marcus Sampaio de São Paulo, 20/3/2002 O Melhor Livro sobre a Vida!Finalmente um livro que discute o envelhecimento de uma maneira diferente. Já estamos cansados de livros que falam sobre o problema mas não falam como solucioná-los. Um livro que nos tranquiliza sobre o que é de fato envelhecer. Fico feliz em saber que este livro está concorrendo ao Prêmio Jabuti de 2002, porque ele já é um grande vencedor.

Yedda Rabelo (yedda@compuland.com.br) de Petrópolis, 13/3/2002 Meu livro de cabeceira: Ler este livro foi retornar à vida. Este é um livro que todas as pessoas deveriam ter sempre junto de si,para que, abrindo ao acaso, num momento de angústia, encontrem palavras de conforto,carinho e transformação.

Ana Maria Santos Leal / Data: 13/6/2003- Obra Maravilhosa! - O livro é maravilhoso e muito prazeroso de ler. Com ele pude me ver um pouco como personagem das histórias e pude aprender muitas coisas para a minha vida.

Alessandro Neumann / Data: 16/4/2002 -Acordar para a vida - Depois de ter lido esta obra, despertei para a vida , pois no dia a dia esquecemos até mesmo que respiramos, quanto mais que vivemos, agora tenho mais que certeza que nosso tempo é curto e devemos aproveita-lo bem, agora sinto-me sem medo de envelhecer.

Luciana de Cássia Cardoso / Data: 3/2/2002 - Emoção Pura e Aprendizado Verdadeiro - Este livro me emocionou muito e é interessante pois demorei terminá-lo. Acho que não queria que ele chegasse ao fim. Fiquei muito tempo na história do homem do deserto. Li e reli várias vezes. Achei tão interessante que sempre achava que eu precisava entender algo mais da história... A última história das três mulheres mexeu demais comigo, é como se eu a conhecesse. E a história do autor... Meu Deus! O livro com certeza fez alguma coisa se modificar em minha vida, pois sou fisioterapeuta e agora ao atender um idoso, eu penso muito no livro e reflito qual seria a melhor forma de tratá-los. Vou ler o livro mais algumas vezes pois ele é de uma riqueza que com certeza ainda nao assimilei tudo que eu deveria! Este livro é completo e nos faz refletir sobre muitos parâmetros da vida, além de nos emocionar em muito!

Gabriela / Data: 5/8/2001 - Mudança do rumo de minha vida!! - Talvez tenhamos que reaprender muito das coisas que nos ensinaram. O objetivo desse livro é isso. É fazer com que tenhamos novos rumos para o nosso viver. Fico realmente feliz em estar compartilhando com todo o público sobre essa maravilha de livro. Ele serve para todas as idades, pois pensamos que somente o velho envelhece mas depois de ler descobrimos que nós, os jovens, também estamos envelhecendo e o que é melhor podemos ter esperança de dias melhores para a nossa vida. Obrigado ao autor por me possibilitar novas formas de pensar a respeito da vida.

Maria da Conceição / Data: 7/6/2001 - O verdadeiro significado da palavra envelhecer - Finalmente é lançado um livro que discute o real significado da palavra envelhecer. Como o próprio autor diz: "envelhecer é processo de transformação do humano como ser único em seu tempo vivido". Nunca havia pensado que envelhecer é sinônimo de viver e por isso todos nós, independente da idade, estamos envelhecendo a cada momento. Por isso, não faz sentido pensar nas famosas receitas de anti envelhecimento. Fiquei muito satisfeita lendo o livro e descubrir que todos somos sempre o velho de alguém. Vale muito a pena ler esse livro e descartar, finalmente, todos os enganos a respeito do que realmente significa envelhecer.

Marta Canudo, martcan@sapo.pt - Livro imperdível
Ler este livro foi reencontrar a alegria de viver. Nele pude descobrir a minha própria história.

Márcio Silva - Oportunidade de ser Feliz
Não deixem passar a oportunidade de serem felizes, mesmo já sendo velhos, com esta obra maravilhosa.

Márcia Brandão / Data: 31/5/2005
Simplesmente Fascinante - Fiquei absorvida com cada capítulo deste livro. Ele nos ensina que o corpo não é só matéria, é poesia, fluxo, passagem. Quero dizer que todas as pessoas deveriam conhecer esta obra. Eu recomendo!!!

QUEM SOMOS NÓS? - O enigma do corpo



Márcia Tardin de Niterói, 16/6/2004 - Livro sensível, inteligente e poético. Li este livro fora de ordem, quando me dei conta já havia lido todo ele. A leitura não é cansativa. O autor descreve de forma tão leve, que as dificuldades que por ventura vão surgindo, é por conta de ter de se estruturar um novo olhar. O autor passa sensibilidade, astúcia, inteligência e, sobretudo, doçura. Senti-me envolvida com as descrições das histórias de vida. A obra é rica, poética, porque nos envolve, nos toca.

Patricia Zaneli de MG, 5/6/2004 - O livro é fantástico. A linguagem maravilhosa. As histórias são incríveis. O livro é muito emocionante. Não pude conter as lágrimas em vários trechos. O livro diz tudo o que precisamos saber. A identificação com o livro é imediata. Parabéns ao autor!

Thelma / 14/7/2004 - O que mais me encantou e profundamente me comoveu no livro foi acompanhar os trechos onde o próprio autor , alguns de seus pacientes e uma aluna se colocaram como sujeitos da narrativa. Ali, na "tradução" destes "encontros", me deparei com "poesia" , a linguagem metafórica perscrutando o enigma humano, utilizando a descoberta do corpo, a memória entranhada em cada sinal ou forma como elo para o resgate de um e de outro, de quem vê e de quem é visto, de quem toca e de quem é tocado, e da união, do estar consigo e com o outro simultaneamente, o breve desvendar do que somos. Este elo em forma de toque é bálsamo, conta a nossa história e diz que ela não é estática nem permanente, apenas transição e escolhas. No fundo somos interrogações vivas em busca da compreensão de nossa evolução como seres humanos: de onde viemos, quem somos e o que nos tornaremos. O livro acaba por nos convidar a seguir em frente nesta busca e nos indica de maneira sensível um atalho . Este mesmo corpo que muitas vezes é relegado à condição de apenas "uma forma" , é no fundo o guardião das respostas que tanto procuramos, pois nos interconecta com o que está além de nós, com o outro, com o ambiente, com o nosso passado, futuro e com o retrato fiel do presente. Então, basta que tomemos este atalho , abrindo espaço em nossas vidas para ouvir o corpo atentamente.

Roseli Salamon de São Paulo, 28/7/2004 -Um livro que iluminou a minha jornada
Toda vez que acabo de ler um livro que me agrada ocorre uma mistura de sentimentos que não são difíceis de entender. É um misto de sentimento de perda, pelo término de algo que está me agradando, porém acompanhado de uma plenitude compensadora. O livro deixa de me acompanhar concretamente, naqueles bons momentos reservados à leitura, para me acompanhar de agora em diante, dentro de mim. Este livro me ajudou a ampliar meus horizontes, agregando, reformulando e fundamentando muitos conceitos que me ajudarão a percorrer a vida de forma muito melhor. Como é bom perceber que todos nós, a maneira de um caleidoscópio gigante, refletimo-nos uns sobre os outros ad infinitum. Maravilhoso compreender que as mudanças, as transformações são inexoráveis e tanto melhor se deixar levar por elas, conscientemente, do que resistir. E que, diante disso, não existe resposta definitiva sobre Quem Somos Nós. Gratificante assimilar que a partir de nossas crenças e sentimentos, podemos ser os artífices de nosso corpo, nesse cadinho de proporções gigantescas onde estamos todos unidos. Este livro hoje caminha comigo e será, por minha vez refletido adiante. Obrigada, ao autor, pela luz que agora ilumina minha jornada. Que Deus o abençoe!


(Juliano) Excelente livro! O autor mostra sua enorme competência nesse trabalho concebendo-o de maneira muito diferente do primeiro. Levanta questões sobre a vida, o corpo, sabedoria, paciência etc. O texto nos leva, através de uma emocionante dissertação, a caminhos debatidos em várias áreas do conhecimento fechando num convite para a descoberta do corpo como veículo de descoberta da vida. Vale a pena ler e aprender.

Rose Melo / Data: 15/7/2005
Conceito do leitor:
Transformação da essência - Este livro me fez renascer. Sempre que o releio encontro novas respostas, e sempre respostas diferentes, dependendo do momento. Ele é a resposta que eu procurava. Não tenho palavras para descrever como este livro transformou a minha essência.

A MENTE E O SIGNIFICADO DA VIDA

Rose Grazinoli  /  Data:  22/1/2007
Um dos melhores livros sobre a mente.
Sem dúvida alguma é um dos melhores livros que já tive oportunidade de ler. Encanto-me ao ler tudo que este autor escreve, porque ele consegue tratar temas que podem ser considerados como científicos com um lirismo excepcional. Neste livro, em especial, ele se supera. É impressionante como se desnuda para seu público e como alia poesia a um pensamento racional, não perdendo seu status de pesquisador, sempre trazendo temas importantes e super atuais. Também não posso deixar de citar - e isso foi maravilhoso - foi como me transportei para minha infância e juventude através do discurso do autor. Inúmeras imagens que a escrita traz me transportaram - chegando a me emocionar - para um tempo em que vivi e que foi muito parecido com o que o autor viveu - nos cheiros, nos gostos, nas palavras ouvidas e maneira de sentir a família e o mundo!