Artigos
Quando as pessoas pensam em envelhecimento, elas pensam em anos cronológicos, não poucos, mas muitos anos, considerando que a passagem do tempo diz respeito apenas às pessoas de cabelos brancos, rugas, passos lentos ou com outros atributos físicos que denotem a "idade". Como não reconhecemos a passagem do tempo dentro de nós mesmos, acreditamos que somente os outros envelhecem, principalmente as pessoas que possuem idades cronológicas acima de 60 anos - a sociedade costuma classificar, criar identidades, colocando as pessoas em seus devidos lugares. Como somos produtos e produtores de uma sociedade, fazemos isso o tempo todo sem perceber. Porém, não queremos ser este velho, assim, o velho é sempre o outro. Quantas vezes não encontramos pessoas, que há muito tempo não víamos, e pensamos: "Nossa, como ela envelheceu!". Algumas vezes vamos mais longe quando pensamos: "Como o tempo a castigou. Coitada!". Esta idéia nos pertence, sem que possamos perceber que a pessoa que nos olha está fazendo a mesma avaliação. De repente, você pode perguntar: Será mesmo que fulano pensou isso de mim, será que estou tão velho assim? Você pode ir até o espelho procurar algumas rugas, ou cabelos brancos, mas isso não será suficiente para convencê-lo, porque você não vai acreditar que está envelhecendo. Isso porque em nossa sociedade envelhecer, infelizmente, é algo considerado negativo, sendo polido evitar qualquer comentário sobre o assunto, não sendo cortês dizer que as pessoas são velhas. Por isso tentamos a todo custo arrumar justificativas para nos convencermos que o tempo não passa para nós.
Não estamos inertes no tempo, ele é fugaz para todos. Não precisamos ver o tempo como inimigo, porque ele não está fora, ele está em nós, e se nos pertence, os anos vividos dizem respeito apenas a nós que os vivemos. O tempo é totalidade, existência, possibilidade de mudar o rumo de nossa história como quisermos. Somos autores de nós mesmos, cabendo a nós fazer a escolha do caminho a seguir. Não precisamos ter medo da idade, a idade cronológica é um conceito neutro, servindo apenas para sabermos que número colocar nos formulários, assim como também nos lembra do dia de nosso aniversário. Agora, o tempo vivido é uma pertença existencial e subjetiva. Este tempo precisa ser reverenciado. Você já pensou como está em seu tempo vivido? Esta é uma pergunta que precisamos fazer a todo o momento, a fim de nos localizarmos melhor no tempo e no espaço que vivemos. Não deixemos o tempo passar sem antes o consumi-lo, saboreando cada momento como único, tendo a certeza de que cumprimos da melhor maneira possível o nosso papel existencial. Envelhecer é um processo contínuo de mudança para todos nós. Desde o momento de nossa concepção já estamos em processo de envelhecimento. Por isso, precisamos reverenciar nosso tempo como um tempo único vivido. Um tempo que nos preenche e nos gera possibilidade de escolha. Este é o tempo do envelhecer que não é de modo algum ruim, sem sentido. Pelo contrário, só vivemos porque temos a capacidade de envelhecer. Sem esse processo seríamos como as pedras, estáticas a espera da contemplação dos outros. Nós, como humanos que envelhecem, podemos ser contemplados pelos outros porque temos uma história viva. E esta história é nossa.
Enfim, aproveitemos nosso tempo vivido saboreando-o como fruto de nossa própria existência.

PEDRO PAULO MONTEIRO
Envelhecer é Processo de Viver